10/11/2015

Escute mais o seu coração e seja uma mãe mais feliz!

O depoimento de hoje é da mamãe Anne, que nos mostra que apesar de todo o preparo, planejamento e estudo, o mais importante na criação dos filhos é sempre escutar o coração e aproveitar todos os momentos.

"A mamãe do Enzo não nasceu de um dia para o outro, ela foi se transformando durante 24 anos e 9 (curtos rss) meses, em um projeto que ganhou vida em uma noite de sexta feira cheia de lágrimas e emoções!
Hoje eu sinto que foi através da maternidade que eu me encontrei comigo mesma, foi através deste amor incondicional doado e recebido por aquele serzinho tão pequeno que eu realmente me senti completa... A vida mudou..eu mudei.. E ABSOLUTAMENTE tudo foi diferente do que o imaginado.

Em muitos momentos destes 14 meses de vida do meu pequeno eu me senti perdida, sozinha, insegura, impotente (sou enfermeira, trabalhei por dois anos em pediatria, ensinei diversos conteúdos sobre este assunto, mas ninguém me ensinou a ser mãe, porque isto, minhas caras amigas, só se aprende vivendo)....em meio a milhões de vozes, revistas, conhecimentos e mitos.... 


Eu aprendi que para ser uma mãe feliz com minhas escolhas e com a criação do meu filho eu preciso primeiro "ouvir o meu coração".

Minha gravidez passou voando e aqueles diversos projetos de pilates, caminhadas, ler todos os livros possíveis, pintar quartos, compras, tipo de parto, lembrancinhas, roupas e roupas (que o bebê na verdade nunca usou rs) se perderam em meio ao sono (inacabável) e em momentos em que a preocupação com coisas desnecessárias ou não tão urgentes eram maiores do que o tempo dispensado para curtir aquele presente que crescia a cada dia.

Como eu deveria ter curtido muito mais cada movimento, cantado bemmm mais pra ele, conversado mais, ficado deitada quietinha sentindo aquele amor único por aquela barriga linda! E que por sinal era linda mesmo, por mais que ao me olhar no espelho eu me sentisse constantemente estranha e não fosse capaz de admirar o quanto eu estava bela! (Bem logo bate a saudade daquele corpo redondo, rs)

Isso não foi escrito para dar conselhos, mas sim para dizer o que ninguém me falou: vivaaaa! Só viva cada dia com sua barriga, seu filho, siga o seu coração...Todo o resto pode esperar! 

-Enxoval espera! Você pode comprar muitas coisas depois do nascimento e conforme ele for crescendo e tendo realmente a necessidade.

-Amor é mais importante do que brinquedos, na maioria das vezes (ou em todas as vezes como é o meu caso) aquele brinquedo lindooo e caro que você passou semanas desejando não vai ser mais interessante para o seu filho do que o controle da tv, a chave do carro, seu celular, a panela embaixo da pia.... Eu sei, você quer dar o melhor pra ele, mas surpresa: o melhor é seu tempo, paciência e amor!

-Conhecimento é essencial, mas nossos filhos não aceitam instruções generalizadas. São seres únicos e subjetivos. O que você leu naquele best seller pode te causar mais arrependimentos do que resultados de fato, e aquele tão sonhado comportamento pode também ser alcançado com amor e tempo e não apenas com metodologias rígidas. Vai por mim...vai doer e muito, lembrar que você deixou ele chorar quando tudo o que ele queria era seu amor e sua segurança. Siga sua intuição, seu amor vai te ensinar os momentos em que você deve ser mais rígida ou não.

-Amamente até quando você julgar necessário e nunca sinta vergonha disso, vergonha é aceitar cenas vulgares na televisão diariamente e não fazer o melhor pelo seu filho. Amamentar transmite segurança, nos torna seguras também. Ajuda e muito na imunidade do nosso anjinho e o melhor: emagrece :) E não tenha pressa, amiga.. Pode demorar 10 minutos ou 01 hora (ou até mais), é normal. Ele quer você, seu colo, porque você é o mundo dele. Conforme ele for crescendo naturalmente irá se interessar menos pelo peito e você vai ajudá-lo a conhecer e gostar de outros alimentos, de uma forma natural e divertida. (Tire um tempo para fazer um piquenique no meio da sala, façam refeições juntos, seja criativa, a relação do nosso filho com a comida tem muito a ver com as nossas atitudes nesse momento de descoberta dos alimentos. E nunca, por favor, coloque seu filho na mesa através de brigas e atitudes grosseiras. Até nós adultos desenvolveríamos horror pela comida nessa situação.

-Cante, leia, sente no chão, fale com amor, repita, repita mil vezes se preciso, mas sempre com serenidade, uma hora ele vai te surpreender no meio da rua sendo aquela criança educada, simpática  e sorridente que você tanto desejou! Dê amor 24 horas por dia, e de repente seu filho vai sair por aí abraçando os amiguinhos, dando tchau para todos na rua, te abraçando e beijando do nada. Respeite seu filho e o entenda, ele é uma pessoa, tem humores, preferências, opinião e horários. Quando você respeita seu filho ele vai corresponder a essa atitude, respeitando também os pais e a todos a sua volta. E, por favor, lembre-se que ele sente raiva, estresse, nervosismo, e é nossa obrigação como pais ensiná-lo a como lidar com esses sentimentos naturais dos seres humanos, o preparando para a vida em sociedade. 

-Dê o exemplo e quando não gostar da atitude do seu filho analise as suas primeiramente. Escovem os dentes juntos, pare no sinal, diga as palavras mágicas, ofereça os brinquedos.

- Tenha animais, supere seu medo de bagunça em casa! Seu filho vai aprender muito com um bichinho.

-Ensine a dividir e a esperar. Crianças inicialmente são imediatistas, querem porque querem, mas nossa função é educar e desenvolver nossos filhos para que sejam pessoas preparadas para o mundo. Infelizmente não estaremos sempre por perto para justificar suas atitudes aos demais.

Enfim a jornada continua, dia a dia, levantando cedo e sendo as últimas a dormir, sem férias e nem remuneração, mas com o orgulho de que nossos pequenos bebês são e serão sempre felizes. A melhor recompensa é deitar sabendo que você esta fazendo o melhor por ele, então vamos lá aprendendo, aprendendo ... e melhorando como pais por mais 14 meses, anos."

Anne é mamãe de primeira viagem do Enzo.

Um comentário:

  1. Lindo texto! Muito bem escrito e cheio de verdades. Amei!

    ResponderExcluir